A “Saga do Cavalo Pantaneiro” e a pecuária na região de Corumbá, MS, como tema da Escola de Samba Mocidade Independente de Nova Corumbá

Denise Abrão Nachif, Gilberto Luiz Alves

Resumo


Este artigo articula aspectos da História e sua representação em manifestações culturais populares, com foco na história de Corumbá, região de Mato Grosso do Sul. Para tanto, traz um breve histórico da ocupação, colonização, desenvolvimento e da região, à luz de contribuições de Proença (1992a; 1992b), Alves (2004), Fernandes (2009) e Dias (2009), entre outros autores. O foco recai sobre a pecuária e o cavalo pantaneiro, tema e personagem sobre os quais se pronuncia a Escola de Samba Mocidade Independente de Nova Corumbá, desenvolvendo o enredo “Saga do Cavalo Pantaneiro”.

Palavras-chave


desenvolvimento regional; cavalo pantaneiro; carnaval de Corumbá.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBANEZE, G. Entrevista sobre a Escola de Samba Mocidade Independente da Nova Corumbá. Entrevistadora: Denise Abrão Nachif. Corumbá, MS: Hotel Nacional, 9 out. 2014.

ALVES, G. L. Educação nos campos de pecuária do Pantanal da Nhecolândia. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS “HISTÓRIA, SOCIEDADE E EDUCAÇÃO NO BRASIL”, 9., 31/07 a 03/08/2012. Anais eletrônicos... João Pessoa, PB: Universidade Federal da Paraíba, 2012.

______. Pantanal da Nhecolândia e modernização tecnológica. Campo Grande, MS: Editora UFMS, 2004.

ANACHE, Luiz Mario. Festa da Mocidade da Nova Corumbá acontece nesta sexta feira. Pantanal News, Corumbá, 18 fev. 2014. Disponível em: <http://www. pantanalnews.com.br/contents.php?CID=97271>. Acesso em: 27 jun. 2015. ARAUJO, H. Carnaval: seis milênios de história. Rio de Janeiro, RJ: Gryphus, 2003.

BARBOSA, F. M. As dimensões teóricas do evento.2004. Dissertação (Mestrado em Hospitalidade) – Universidade Anhembi-Morumbi, São Paulo, SP.

BARROS, A. L. Gente pantaneira: crônicas da sua história. Rio de Janeiro: Lacerda Editores, 1998.

CANCLINI, N. G. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: EDUSP, 2011.

CARNEIRO, M. A. Forte Coimbra. Corumbá, MS: Edição do autor, 2014.

COM muito brilho e luxo, Nova Corumbá mostra saga  do cavalo pantaneiro. Pérola News, Ladário, 04 mar. 2014. Disponível em: <http://perolanews.com.br/noticias/corumba/com-muito-brilho-e-luxo-nova-corumba-mostra- -saga-do-cavalo-pantaneiro#>. Acesso em: 27 jun. 2015.

DIAS, F. H. A (Re)territorialização do patrimônio cultural tombado do Porto Geral de Corumbá-MS no contexto do desenvolvimento local. Campo Grande, MS: Edição do autor, 2009.

FERNANDES, Marcelo. Mocidade supera problemas e levanta o público na passarela do samba. Diário Corumbaense, Corumbá, 04 mar. 2014. Disponível  em: <http://www.diarionline.com.br/?s= noticia&id=66645>. Acesso em: 27 jun. 2015.

FERNANDES, C. Movimentos urbanos e o Rio Paraguai. Campo Grande, MS: Alvorada, 2009.

PROENÇA, A. C. Corumbá de todas as Graças. Campo Grande, MS: Edição do autor, 1992a.

______. Pantanal – gente, tradição e história. 2. ed. Campo Grande, MS: Edição do autor, 1992b.

QUEIROZ, M. I. P. O campesinato brasileiro. Petrópolis, RJ: Vozes; São Paulo: EDUSP, 1973.

______. Carnaval brasileiro: o vivido e o mito. São Paulo: Brasiliense, 1999.

SANTOS, M. A natureza do espaço. Técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.

SOUZA, J. C. O caráter religioso e profano das festas populares: Corumbá, passagem do século XIX para o XX. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 24, n. 48, p. 331-351, 2004.

SOUZA, L. G. História de Corumbá. [S.l.]: Edição do autor, [s.d.].




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/1984042X2016214

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1984-042X (versão online)
ISSN 1518-7012 (versão impressa, até v. 16, n. 1, jan./jun. 2015)