Geotecnologias aplicadas na defesa do meio ambiente em municípios da Rota de Integração Latino-Americana: a atuação do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul via Centro Integrado de Pesquisa e Proteção Ambiental, Brasil

Palavras-chave: sensoriamento remoto, legislação ambiental, bioceânica, desmatamento, Pantanal, Cerrado

Resumo

A exploração dos recursos naturais e seus impactos sobre os ecossistemas demandam preocupação e uma ação eficiente. A pauta ambiental está presente no poder público. O Ministério Público atua na defesa ambiental de modo a garantir o direito ao ambiente ecologicamente equilibrado às atuais e futuras gerações. O presente estudo apresenta os resultados obtidos pelo Centro Integrado de Proteção e Pesquisa Ambiental da Universidade Católica Dom Bosco (CEIPPAM/UCDB) por meio de pareceres técnicos produzidos em atendimento às demandas do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul, na área ambiental, considerando a Rota de Integração Latino-Americana, nos biomas Pantanal e Cerrado, como área de estudo. Os resultados demonstraram que Aquidauana, Bodoquena e Bonito foram os municípios com os maiores índices de irregularidades ambientais, onde as classes de uso do solo denominadas Vegetação Remanescente e Área de Preservação Ambiental foram as mais afetadas pelos danos ambientais identificados.

Biografia do Autor

Fernando J. C. Magalhães Filho, Universidade Católica Dom Bosco (UCDB)

Doutor em Saneamento Ambiental e Recursos Hídricos. Bolsista de produtividade pelo CNPq. Engenheiro sanitarista e ambiental. Professor e pesquisador da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

Wesley dos Santos Carvalho, Universidade Católica Dom Bosco (UCDB)

Mestrando em Ciências Ambientais e Sustentabilidade Agropecuária pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), bolsista do Centro Integrado de Proteção e Pesquisa Ambiental (CEIPPAM). Engenheiro sanitarista e ambiental pela UCDB.

Mariana Antônio de Souza Pereira, Universidade Católica Dom Bosco (UCDB)

Mestre em Ciências Ambientais e Sustentabilidade Agropecuária pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), engenheira sanitarista e ambiental pela mesma universidade.

Juliane Ramos, Universidade Católica Dom Bosco (UCDB)

Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), estagiário do Centro Integrado de Proteção e Pesquisa Ambiental (CEIPPAM).

Referências

ARAGÃO, F. M., ARAÚJO, F. A. S. Sensoriamento Remoto na Perícia Ambiental do Ministério Público do Estado do Piauí: Estudo de Caso. Engineering Sciences, Aquidabã-SE, v. 2, n. 1, p. 17-28, 2014.

BITTAR, M. R.; TORRES, T. G.; ANACHE, J. A. A.; ESPÍNDOLA, R. B. M.; PARANHOS FILHO, A. C.; MIRANDA, C. S.; FERNANDES, F. M.; LIMA, D. L.; VASCONCELOS, B. B. O uso do Sensoriamento Remoto no diagnóstico ambiental ao longo do Rio Formoso, em Bonito-MS, entre os anos de 2004 e 2008. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO- SBSR, 14., 25 a 30 de abril de 2009, Natal, RN. Anais [...]. Natal: Inpe, 2009. p. 4271-78.

BORGES, J. P.; LIBÓRIO, M. P.; HADDAD, P. B. Uma nova abordagem para a geovisualização de dados de segurança pública: o caso do Ministério Público do Rio Grande do Norte. Revista Espinhaço, v. 8, n. 1, p. 34-42, 2019.

BOTTEON, V. W. Aplicabilidade de ferramentas de geotecnologia para estudos e perícias ambientais. Revista Brasileira de Criminalística, v. 5, n. 1, p. 7-13, 2016.

BRASIL. Política Nacional do Meio Ambiente. Lei n. 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Brasília-DF, 1981.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988. 168 p.

CAMARGO, B. V.; JUSTO, A. M. Tutorial para uso do software de análise textual IRAMUTEQ. Laboratório de Psicologia Social da Comunicação e Cognição. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2018.

DRUCK, S.; CARVALHO, M. S.; CÂMARA, G.; MONTEIRO, A. V. M. (Ed.). Análise espacial de dados geográficos. Planaltina, DF: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária; 2004. 288 p.

MENDONÇA, R. B. M.; BERNASCONI, P.; SANTOS, R.; SCARANELLO, M. Uso das geotecnologias para gestão ambiental: experiências na Amazônia Meridional. Cuiabá-MT: Instituto Centro de Vida, 2011.

NASCIMENTO, M. C.; SOARES, V. P.; RIBEIRO, C. A. S. S.; SILVA, E. Uso do geoprocessamento na identificação de conflito de uso da terra em áreas de preservação permanente na bacia hidrográfica do rio Alegre, Espírito Santo. Ciência Florestal, v. 15, n. 2, p. 207-20, 2005.

RASLAN, A. L.; TORRES, T. G.; MIRANDA, C. S.; FERNANDES, F. M.; PARANHOS FILHO, A. C.; ANACHE, J. A. A.; ESPÍNDOLA, R. B. M.; LIMA, D. L. VASCONCELOS, B. B. O uso de geotecnologias aplicadas à conservação das áreas de vegetação remanescente e áreas de preservação permanente de hidrografia no Município de Caracol-MS. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO- SBSR, 14., 25 a 30 de abril de 2009, Natal, RN. Anais [...]. Natal: Inpe, 2009. p. 4271-78.

RODRIGUES, L. P.; LEITE, E. F. Dinâmica do uso e cobertura da terra na bacia hidrográfica do Rio Aquidauana, MS. In: SIMPÓSIO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 17., Instituto de Geociências Unicamp. Anais [...]. Campinas, SP: Unicamp, 2017.

ROSA, R. Geotecnologias na geografia aplicada. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, n. 16, p. 81-90, 2005.

SANTOS, J. S. M.; VALERIANO, D. M. Análise da paisagem de um corredor ecológico na Serra da Mantiqueira. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO- SBSR, 11., Belo Horizonte, MG. Anais [...]. Natal: Inpe, 2003. p. 707-15.

TANCREDI, N. S. H.; ALMEIDA, J. R.; LINS, G. A.; GUERRA, A. J. T.; JORGE, M. C. O. Uso de Geotecnologias em laudos periciais ambientais: estudo de caso no município de Jacundá, Pará. Revista Geografar, Curitiba, v. 7, n. 1, p. 1-19, 2012.

TERUYA JUNIOR, H., PARANHOS FILHO, A. C., CORRÊA, L. C., TORRES, T. G., GARCEZ, A. J. S., COPATTI, A. Identificação da cobertura de solo usando imagem Landsat da bacia do Formoso, MS. 1º Simpósio de Geotecnologias no Pantanal. (p. 559-565). Campo Grande, MS: Embrapa Informática Agropecuária/Inpe. 2006.

TRANCOSO, R. Análise sobre a dinâmica do desmatamento e dos incêndios florestais no bioma Cerrado. Produto 4 − P.O. 7831158. [S.l.]: Banco Mundial/Ministério do Meio Ambiente, 2014. Disponível em: http://queimadas.cptec.inpe.br/~rqueimadas/material3os/2014_Trancoso_Dinamica_Desmatamento_BM_DE3os.pdf. Acesso em: 22/03/2020.

TRIGUEIRO, W. R. Variação espacial dos fatores que direcionam o desmatamento do Cerrado. 2019. Dissertação (Mestrado em Recursos Naturais do Cerrado) - Universidade Estadual de Goiás, Anápolis, GO, 2019.

Publicado
2021-06-02