Biorregionalismo: desenvolvimento rural respeitando as diferenças

Ricardo Serra Borsatto, Michelle Melissa Althaus Ottmann, Nilce Nazareno da Fonte

Resumo


Este artigo é um ensaio que objetiva a realização de reflexões e questionamentos, para que se possamencontrar caminhos mais sustentáveis para o meio rural brasileiro, que propiciem efeitos econômicos, sociais eecológicos positivos em longo prazo. Para tanto foi analisada a política agrícola européia e constatou-se que estasegue por caminhos contrastantes do modelo brasileiro. Foi utilizada como base para as reflexões a teoria dacomplexidade e proposto o biorregionalismo como um possível caminho a ser seguido.

Palavras-chave


Biorregionalismo; complexidade; sustentabilidade

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. C.; CARVALHO, E. A. (Org.). Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios. São Paulo: Cortez, 2002. 104p.

ALTIERI, M.A. Sustainable agriculture. In: Encyclopedia of agricultural science. Berkeley: Academic Press, v. 4, p. 239-247, 1994.

ARANHA, M. L. A.; MARTINS, M. H. P. Filosofando: introdução à filosofia. 2. ed. São Paulo: Moderna, 1993. 395p.

CAPRA, F. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 1997. 256p.

EUROPEAN COMISSION. The common agricultural policy explained. Germany. 2004. 33p. Disponível em: . Acesso em 19 jan. 2005.

EVANOFF, R. A Bioregional Perspective on Global Ethics. Eubios Journal of Asian and International Bioethics 9 (1999), p. 60-62. Disponível em: . Acesso em: 10 de out. 2005.

FONTE, N.N. A complexidade das plantas medicinais: algumas questões de sua produção e comercialização. 2004. 183p. Tese (Doutorado em Agronomia) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

FRIGHETTO, R.T.S. Impacto ambiental decorrente do uso de pesticidas agrícolas. In: MELO, I.S.; AZEVEDO, J.L. de (eds.). Microbiologia ambiental. Jaguariúna: Embrapa CNPMA, 1997. 440 p.

GONÇALVES, L. C. C. Biorregionalismo... Que novo ISMO é esse? Jornal Cultura Permanente, 11a ed., p.11, 2005.

LAPA, J.R.do A. A economia cafeeira. 6. ed. São Paulo: Brasiliense, 1998. 120p.

LA REGIÓN de Cascadia: Homogeneidad Ambiental? Revista Mexicana de Estudos Canadenses, Dez, 2004. Disponível em: Acesso em: 10 de out. 2005.

MACIEL, R.C.G. Ilhas de alta produtividade: Inovação essencial para a manutenção dos seringueiros nas reservas extrativistas. 2003. 88p. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas. MINISTÉRIO da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Agronegócio brasileiro: uma oportunidade de investimentos (Mapa). Disponível em: . Acesso em 19 jan. 2005.

MORIN, E. Ciência com consciência. 5. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001a. 344p.

______. Introdução ao pensamento complexo. 3. ed. Lisboa: Instituto Piaget, 2001b. 177 p.

______. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 4. ed. São Paulo: Cortez; Brasília-DF: UNESCO, 2001c. 116p.

NUNES, S.R. Biorregionalismo: una discusión desde el desarrollo territorial sustentable. 2005. Monografía. Universidad de Los Lagos. Osorno, Chile. Disponível em: Acesso em: 10 de out. 2005.

SALE, K. Dwellers in the land – The Bioregional Vision. [S.l.]: New Society Publishers, 1991. 216p.

SANHUEZA, R.M.V. Efeito de pesticidas sobre a microflora da parte aérea de plantas. In: MELO, I.S.; AZEVEDO, J.L. de (eds.). Microbiologia ambiental. Jaguariúna: Embrapa CNPMA, 1997. 440 p.

SARTORI, V.C. Dinâmica das populações de fungos endofíticos e epifíticos, impacto ecológico em diferentes sistemas de produção de macieira (Malus domestica) e seu potencial biotecnológico. 2003. 109p. Tese (Doutorado em Processos Biotecnológicos – Setor de Tecnologias) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

SILVA, J. M. Vale do Ribeira no Estado do Paraná: a importância da infra-estrutura para o seu desenvolvimento. 2003. Monografia (apresentada ao Curso de Economia) – Universidade Federal do Paraná.

WHAL, D. Biorregionalismo, ecohabitar nuestras comarcas de una manera sostenible. Revista Ecohabitar. Disponível em: . Acesso em: 10 de out. 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Indexada em:
 
 

ISSN 1984-042X (versão online)