Desenvolvimento Local Integrado e Sustentável: uma metodologia para políticas e programas de superação da pobreza

Adriane Vieira Ferrarini

Resumo


Ações dispersas e tuteladas ainda predominam nos programas de superação da pobreza. O desenvolvimento local integrado e sustentável, utilizado na política pública como fundamento e metodologia, oportunizou o fortalecimento da participação da população como cogestora, a articulação intersetorial de programas e a ativação de recursos endógenos do território, atribuindo caráter emancipatório e sustentabilidade aos resultados.

Palavras-chave


Pobreza. Política pública. Território.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRIGHI, Giovani. A ilusão do desenvolvimento. Petró- polis: Vozes, 1997.

BARTH, Jutta; BROSE, Markus. Participação e desenvolvimento local: balanço de uma década de cooperação alemã no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Sulina, 2002.

CATTANI, Antonio D.; FERRARINI, Adriane V. Participação, desenvolvimento local e política pública: estratégias articuladas para a superação da pobreza. Revista Katálysis, Florianópolis, 13(2): 164-172, jul./dez. 2010.

DEMO, Pedro. Pobreza da pobreza. Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

DRAIBE, Sônia. BRASIL 1980-2000: proteção e insegurança sociais em tempos difíceis. Material preparado PNUD – Taller Inter-regional, Chile, 2002.

GOVERNO FEDERAL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Comunicados do IPEA n. 111. Mudanças recentes na pobreza brasileira, IPEA, 2011. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/agencia/ images/stories/PDFs/comunicado/110915_comunicadoipea111.pdf. Acesso em: 15/9/2011 .

HEILBRONER, Robert. A natureza e a lógica do capitalismo. São Paulo: Ática, 1988.

IVO, Anete B. L. Metamorfoses da questão democrática: governabilidade e pobreza. Buenos Aires: CLACSO, 2001.

JACCOUD, Luciana. Questão social e políticas sociais no Brasil contemporâneo. Brasília: IPEA, 2005

LATOUCHE, Serge. O decrescimento como condição de uma sociedade convivial. Cadernos IHU Ideias, ano 4 (56), 2006.

LAVINAS, Lena et al. Combinando compensatório e redistributivo: o desafi o das políticas sociais no Brasil. Rio de Janeiro: IPEA, 2000.

LEROY, Jean-Pierre et al. Tudo agora ao mesmo tempo: desenvolvimento, democracia, sustentabilidade: o que isso tem a ver com você? Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

LIMA, Gustavo F. Crise ambiental, educação e cidadania: os desafi os da sustentabilidade emancipatória. In:

LOUREIRO, F.; LAYARGUES, P.; CASTRO, R. (Orgs.).Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2002.

METROPLAN, Relatório de Gestão do Programa de Recuperação de Áreas Degradadas do RS, 2002.

PESTOFF, Victor. Co-Production, New Public Governance and Third Sector Social Services in Europe. Revista Ciências Sociais Unisinos, 47(1), p. 15-24, 2011.

SACHS, Ignacy. Desenvolvimento includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Conhecimento prudente para uma vida decente: ‘um discurso sobre as ciências’ revisitado. Lisboa: Afrontamento, 2003.

______ (Org.). Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

______ (Org.). Globalização: fatalidade ou utopia. Lisboa: Afrontamento, 2001.

______. A crítica da razão indolente – contra o desperdício da experiência. Para um novo senso comum: a ciência, o direito e a política na transição paradigmática. São Paulo: Cortez, 2000. v. 1.

SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria Lúcia. Brasil: territorialidade e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SILVA, Maria Ozanira (Coord.). O Comunidade Solidária: o não-enfrentamento da pobreza no Brasil. São Paulo: Cortez, 2001.

SOUZA, Celina. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, 8 (16), p. 20-45, jul/ dez, 2006.

VEIGA, José Eli. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

YAZBEK, Maria C. Classes subalternas e assistência social. São Paulo: Cortez, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/interacoes.v13i2.319

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1984-042X (versão online)
ISSN 1518-7012 (versão impressa, até v. 16, n. 1, jan./jun. 2015)