Brasil, Paraguai, Argentina e Chile / Rota Bioceânica: relações culturais no território vivido

Magali Lúzio Ferreira, Maria Augusta Castilho, Edilene Maria Oliveira

Resumo


O presente artigo tem como objeto de estudo os países da América Platina envolvidos na Rota Bioceânica e suas relações culturais de vizinhança. O estudo analisa as culturas materiais e imateriais que permeiam este espaço e seus entrelaçamentos na conexão entre o Centro-Oeste brasileiro e o Pacífico.  Assim, não basta o foco sobre as questões logísticas que facilitarão o mercado em geral, o agronegócio, a importação e exportação de produtos, mas sim impulsionar os setores empresariais dos quatro países envolvidos na referida Rota. O projeto cria relações de convivências e estreitam as culturas territoriais. Infere-se que a relevância deste trabalho é o de salvaguardar o sentimento de pertença dos cidadãos locais em prol dos direitos de cidadania, por isso, há a necessidade de não se privar a temática como registro a preservação patrimonial. Para a realização do estudo utilizou-se o método dedutivo com uma abrangência sistêmica, por meio de uma investigação criteriosa em arquivos públicos, bibliotecas, livros, jornais, sites, assinalando as obras que fornecerão subsídios ao trabalho em tela. Os resultados apontam evidências que reafirmam e privilegiam a preservação da identidade, história e identificação cidadã.


Palavras-chave


Rota bioceânica; relações culturais; território vivido.

Texto completo:

PDF

Referências


ABC COLOR. Assunção – Paraguai, 16/12/2013. Disponível em http://www.abc.com.py/nacionales/pilcomayo-con-aguas-normales-650583.html.  Acesso em: 15 mar. 2018.

ABC COLOR. Los Departamentos del Paraguay y sus capitales, 09/09/2003. Disponivel em: http://www.abc.com.py/articulos/los-departamentos-del-paraguay-y-sus-capitales-716545.html. Acesso em: 10 mar.2018.

AMAUTASPANISH. Amauta Escola de Espanhol. 2015. Disponível em: http://www.amautaspanish.com/portuguese/destinos/aprender-espanhol-na argentina/argentina-visao/cultura-e-sociedade-195.html. Acesso em: 1º abr. 2018.

TEMPO AMERÍNDO. O grande Chaco. Jan. 2013. Disponivel em: https://ancientamerindia.wordpress.com/2013/01/13/o-grande-chaco/. Acesso em: 1º abr. 2018.

ARQUIVO DE NOTÍCIAS UFJF. Professora da Universidade do Chile participa de conferência no ICH. set. 2009. Disponível em: http://www.ufjf.br/secom/2009/09/14/professora-da-universidade-do-chile-participa-de-conferencia-no-ich/. Acesso em: 27 mar. 2018.

BANCO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO (BNDES). Avaliação dos Corredores Bioceânicos, 2010. Disponível em: https://www.bndes.gov.br/arquivos/Corredor-bioceanico/Corredor-bioceanico-produto-2.pdf. Acesso em: 23 mar. 2018.

BRASIL. Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 1996.

CAFESEMPO. Curiosidades sobre o tango. 2015. Disponível em: http://cafesempo.com.br/10-curiosidades-sobre-o-tango. Acesso em: 1º abr. 2018.

CAMPO GRANDE (Cidade). CG Notícias – Agência Municipal de notícias de Campo Grande - Rota Bioceânica. Papel de Campo Grande será fundamental, diz Secretário da SEDESC, 05/09/2017. Disponível em:   http://www.campogrande.ms.gov.br/cgnoticias/noticias/papel-de-campo-grande-sera-fundamental-na-diz-secretario-da-sedesc/. Acesso em: 20 mar. 2018.

CHOAY, F. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Unesp, 2001.

COMI POR AÍ. Frutos do mar, jul. 2010. Disponivel em: https://comiporai.wordpress.com/tag/locos/. Acesso em: 2 abril 2018.

CONSELHO SUL-AMERICANO DE INFRAESTRUTURA E PLANEJAMENTO (COSIPLAN). História. [S.d.]a. Disponível em:  http://www.iirsa.org/Page/Detail?menuItemId=121. Acesso em: 15 mar. 2018.

CONSELHO SUL-AMERICANO DE INFRAESTRUTURA E PLANEJAMENTO (COSIPLAN).  IIRSA (2000-2010). [S.d.]b. Disponível em: http://www.iirsa.org/Page/Detail?menuItemId=28. Acesso em: 15 mar. 2018.

FIGUEIREDO, V. G. B. O patrimônio e as paisagens: novos conceitos para velhas concepções? Paisagem e Ambiente, São Paulo, n. 32, p. 83-118, dez. 2013. ISSN 2359-5361. Disponível em: http://www.periodicos.usp.br/paam/article/view/88124/91004. Acesso em: 9 abr. 2018. doi:http://dx.doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i32p83-118

FRIGERIO, A.; LAMBORGHINI, E. Criando um movimento negro em um país “Branco”: ativismo político e cultural afro na Argentina. Afro-Ásia, Salvador, n. 39, 2009. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/afroasia/about/contact. Acesso em: 12 mar.2018.

FRONTEIRA NEWS. Bela Vista MS. Carmelo Peralta completa dez anos e homenageia os fundadores. Porto Murtinho, 5 maio 2017. Disponível em:  http://fronteiranews.com/carmelo-peralta-completa-dez-anos-e-homenageia-os-fundadores/. Acesso em 17 de mar.2018. [ Links ]

FUNARI, P. P.; PELEGRINI, S. C. A. Patrimônio histórico e cultural. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

HEYN, C. A. Desenvolvimento local endógeno: análise de experiência em Porto Murtinho-MS. Orientador: Vicente Fideles de Ávila. 2003. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Local) - Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS, 2003.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA (IBGE). IBGE apresenta nova área territorial brasileira: 8.515.767,049 km². Agência IBGE Notícias, 27 nov. 2012. Disponível: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/2013-agencia-de-noticias/releases/14318-asi-ibge-apresenta-nova-area-territorial-brasileira-8515767049-km.html. Acesso em: 16 mar. 2018.

INSTITUTO IGN. Ministério de Defesa Presidência de la Nación. Cantidad de departamentos o partidos por provincia. República Argentina, [s.d.] Disponível em: http://www.ign.gob.ar/NuestrasActividades/Geografia/DatosArgentina/Departamentos. Acesso em: 17 mar. 2018.

MARTIN, A. S. Argentina sale en busca de los turistas perdidos. La capital - Mar del Plata. Viernes, 8 abr. 2016. Disponível em: http://www.lacapitalmdp.com/argentina-sale-en-busca-de-los-turistas-perdidos/. Acesso em: 1º abr. 2018.

MASSAROLO, J. As cores de Jujuy, no norte da Argentina. Correio Popular, Campina, SP, 16 jan. 2018. Disponível em: http://correio.rac.com.br/_conteudo/2018/01/turismo/515495-as-cores-de-jujuy-no-norte-da-argentina.html. Acesso em: 17  mar. 2018.

MATO GROSSO DO SUL (Estado). Economia de MS. [S.d.]. Disponível em: http://www.ms.gov.br/a-economia-de-ms/. Acesso em: 16 mar. 2018.

MATO GROSSO DO SUL (Estado). Foco em cada região. In: SEMINÁRIO CORREDOR BIOCEÂNICO RODOVIÁRIO, 2., Campo Grande, MS, 28-29 jul. 2016. Disponível em: http://www.Corredorbioceanico.ms.gov.br/foco-em-cada-regiao/. Acesso em: 16 mar. 2018.

BRASIL. Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Maio tem maior superávit mensal da história. Brasília, 2017. Disponível: http://www.mdic.gov.br/index.php/component/content/article?id=2538. Acesso em: 13 mar. 2018.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG). Conselho Sul-Americano de Infraestrutura e Planejamento (COSIPLAN). Brasília-DF, 2015. Disponível em: http://www.planejamento.gov.br/assuntos/planejamento-e-investimentos/integracao-sul-americana/cosiplan-conselho-sul-americano-de-infraestrutura-e-planejamento. Acesso em: 20 mar. 2018.

MOCHIZUKE, K. C.  Influência do atendimento em saúde à estrangeiros em uma cidade fronteiriça Brasileira. Journal Health NPEPS, v. 2, n. 1, p. 241-53, 2017. ISSN 2526-1010.

TARTAGAL (Cidade). Historia de nuestra ciudad. [S.d.]. Disponível em: http://www.tartagal.gob.ar/about-city/. Acesso em: 19 mar. 2018.

NOTÍCIAS DO MS. Jornal diário online (09/03/2018). Disponível em https://jnediario.com.br/2018/03/09/camara-dos-deputados-aprova-construcao-da-ponte-internacional-em-porto-murtinho/. Acesso em: 14 mar. 2018.

O ESTADO. Campo Grande, MS, 11 set. 2017.  Disponível em: http://www.oe10.com.br/noticia/5973/Rota_bioceanica_esperanaa_de_desenvolvimento. Acesso em: 20 mar. 2018.

OBSERVATORY OF ECONOMIC COMPLEXITY (OEC). Complexidade econômica do Chile (2018a). Disponível em: https://atlas.media.mit.edu/pt/profile/country/chl/. Acesso em: 15 mar. 2018.

OBSERVATORY OF ECONOMIC COMPLEXITY (OEC). Complexidade econômica do Paraguai (2018b). Disponível em: https://atlas.media.mit.edu/pt/profile/country/pry/. Acesso em: 15 mar. 2018.

OBSERVATORY OF ECONOMIC COMPLEXITY (OEC). Complexidade econômica do Brasil (2018c). Disponível em: https://atlas.media.mit.edu/pt/profile/country/bra/. Acesso em: 15 mar. 2018.

OBSERVATORY OF ECONOMIC COMPLEXITY (OEC). Complexidade econômica da Argentina (2018d). Disponível em: https://atlas.media.mit.edu/pt/profile/country/arg/. Acesso em: 15 mar. 2018.

PEREGALLI, E. A América que os europeus encontraram. São Paulo: Atual, 1994.

PESAVENTO, S. J. Além das fronteiras - fronteiras culturais. São Paulo: Ateliê Editorial, p. 35-39, 2002.

PORTAL BRASIL NET. Principais dados do Chile. [S.d.]. Disponível em: http://www.portalbrasil.net/americas_chile.htm. Acesso em: 14 mar. 2018.

PORTAL BRASIL NET. Principais dados do Paraguai. [S.d.]. Disponível em: http://www.portalbrasil.net/americas_paraguai.htm. Acesso em: 14 mar. 2018.

PORTAL PORTUÁRIO. Ministerio de Economía ratifica a Puerto Mejillones con Sello ProPyme. Valparaíso, 25 abr. 2017.  Disponível em: https://portalportuario.cl/ministerio-economia-ratifica-puerto-mejillones-sello-propyme/. Acesso em: 15 mar. 2018.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE). Mapa de Oportunidades (02/03/2017) - Desenvolvimento Econômico e Territorial de Mato Grosso do Sul: Porto Murtinho – Sudoeste, 2015.  Disponível em: http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/UFs/MS/Anexos/Mapa%20Oportunidades/PORTO%20MURTINHO.pdf. Acesso em: 16 mar. 2018.

SECRETARIA NACIONAL DE TECNOLOGIAS DE LA INFORMACIÓN Y COMUNICACIÓNDEL PARAGUAY. Ordenación del  Municipios. [S.d.].  Disponível em: https://www.municipios.gov.py/municipios. Acesso em: 14 mar. 2018.

PARAGUAI. Ministerio de Economia, Fomento y Turismo. Secretaría Nacional de Turismo (SENATUR), [s.d.]. Disponível em: http://www.chileestuyo.cl/#. Acesso em: 20 mar. 2018.

SILVA, M. C. Os eixos de integração e desenvolvimento da Iirsa: uma análise de regionalização. Orientadora: Marília Steinberger. 2013. Monografia (Bacharelado em Geografia) - Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, 2013.

SOUZA, R. Patrimônios da Humanidade na Argentina. 2011. Disponivel em: http://www.projetolatinoamerica.com.br/patrimonios-da-humanidade-argentina/. Acesso em: 1º abr. 2018.

SOUZA, A. América Latina, conceito e identidade: algumas reflexões da históriaPRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP, Macapá, v. 4, n. 4, p. 29-39, 2012.

SUB-SECRETARIA DE DESARROLLO REGIONAL Y ADMINISTRATIVO – (SUBDERE). Regiones, Provincias Y Comunas de Chile. [S.d.]. Disponível em: http://www.subdere.cl/documentacion/regiones-provincias-y-comunas-de-chile. Acesso em: 20 mar. 2018.

TOPMÍDIA NEWS. Campo Grande, MS, 22 dez. 2017. Disponível em: http://www.topmidianews.com.br/politica/presidentes-de-4-paises-assinam-pacto-para-apressar-Rota-bioceanica/81930/. Acesso em: 14 mar. 2018.

AGÊNCIA TRANSPORTA BRASIL. Transportadores do MS querem utilizar portos do Chile. 27 maio 2013. Disponível em: <http://www.transportabrasil.com.br/2013/05/transportadores-do-ms-querem-utilizar-portos-do-chile/>. Acesso em: 15 mar. 2018.

VIAGENS, SABORES, ETC. Onde comer Centolla em Santiago no Chile? Jan. 2016. Disponível em: http://viagenssaboresetc.blogspot.com.br/2016/12/onde-comer-centolla-em-santiago-no-chile.html. Acesso em: 2 abr. 2018.

VIEGAS, A. Rota de integração deve potencializar turismo entre Brasil, Paraguai, Argentina e Chile. G1 MS, 9 set. 2017. Disponivel em: https://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/rila/noticia/Rota-de-integracao-deve-potencializar-turismo-entre-brasil-paraguai-argentina-e-chile.ghtml. Acesso em: 29 mar. 2018.

VIEIRA, M. M. F.; VIEIRA, E. F.; KNOPP, G. C. Espaço global: território, cultura e identidade. Revista Administração em Diálogo – RAD, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 1-19, 2010.

VILLALOBOS, S. História de Chile. Santiago: Editorial Universitaria, 2004.

MARTIN, G. E.; WEBB, K. E.; MILLER, M. D. H. Gran Chaco. Encyclopædia Britannica. [S.d.]. Disponível em: https://www.britannica.com/place/Gran-Chaco. Acesso em: 1º abr. 2018.

YÁNEZ CASAL, A. Património e modernidade. In: ENCONTRO NACIONAL DE MUSEOLOGIA E AUTARQUIAS, 4., 29-31 de outubro de 1993, Tondela. Actas [...]. Tondela: Câmara Municipal, 1999. p. 57-61.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/inter.v20iespecial.2299

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Indexada em:
 
 

ISSN 1984-042X (versão online)