Modelo interdisciplinar para análise teórica da ação da escola na promoção do desenvolvimento à escala humana

Claudio Roberto Stacheira, Ana Maria Nogales Vasconcelos, Neusa Maria Ravaroto, Leides Barroso Azevedo Moura

Resumo


O presente artigo pressupõe a relação ecológica e interdisciplinar entre escola e desenvolvimento e apresenta um modelo teórico, denominado MIATAE, para estudá-la. Identifica elementos de convergência entre as teorias do Desenvolvimento à Escala Humana, a Perspectiva Freireana de Educação e a Teoria Bioecológica do Desenvolvimento Humano. O trabalho baseou-se no método dialético, com natureza analítica e abordagem qualitativa. Utilizou técnica de revisão narrativa de literatura, com análise apoiada em critérios de caráter histórico, teórico e metodológico. O MIATAE é composto por três polos com as funções axiológica, ontológica e topológica, exercidas, respectivamente, pelas teorias admitidas. Também possui uma morfologia entre elas que prospecta quatro relações teóricas interdisciplinares, diante do objeto de interesse de análise representado por um núcleo. Conclui que uma destas, a Relação Interdisciplinar Completa, revela uma nova síntese teórica sobre a ação da escola na promoção do Desenvolvimento à Escala Humana, que amplia as possibilidades de compreensão de sua interdisciplinaridade. Essa relação também transcende o enfoque particular de cada teoria admitida, conservando a epistemologia disciplinar potencializada a essa análise. Admitidos os limites do presente trabalho, o MIATAE possibilita à escola evidenciar e sustentar teoricamente o propósito, o conteúdo e a estratégia de sua ação na direção do Desenvolvimento à Escala Humana, de maneira interdisciplinar estruturada.

Palavras-chave


educação; políticas públicas; projeto educativo; relações ecológicas

Texto completo:

PDF

Referências


BALLESTEROS, Carlos. Economía a Escala Humana: una aproximación a los valores de la economía solidaria desde las ideas de Max-Neef. Revista Nuevas Tendencias en Antropología, n. 1, p. 89-107, 2010.

BENETTI, Idonézia C.; VIEIRA, Mauro Luis; CREPALDI, Maria Aparecida; SCHNEIDER, Daniela Ribeiro. Fundamentos da teoria bioecológica de Urie Bronfenbrenner. Pensando Psicología, v. 16, n. 9, p. 89-99, jan./dez. 2013.

BROCK, Colin; SCHWARTZMAN, Simon (Org.). Os desafios da educação no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005.

BRONFENBRENNER, Urie. Bioecologia do desenvolvimento humano: tornando os seres humanos mais humanos. Porto Alegre: Artmed, 2011.

BRONFENBRENNER, Urie. A ecologia do desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artmed, 1996.

CANÁRIO, Rui. A escola tem futuro? Das promessas às incertezas. Porto Alegre: Artmed, 2006.

CANÁRIO, Rui. O que é a Escola? Um “olhar” sociológico. Porto, Portugal: Porto Editora, 2005.

CASASSUS, Juan. A escola e a desigualdade. Tradução de Lia Zatz. Brasília: Plano Editora, 2002.

CHIRINOS, Norbis M.; GONZALES, Sorayda R. Concepciones del desarrollo en el Siglo XX: estado y política social. Revista de Ciencias Sociales, Maracaibo, Venezuela, v. XII. n. 2, p. 205-22, maio/ago. 2006.

DESSEN, Maria Auxiliadora; COSTA JUNIOR, Áderson Luiz (Org.). A ciência do desenvolvimento humano: tendências atuais e perspectivas futuras. Porto Alegre: Artmed, 2005.

ELIZALDE, Antonio. Desarrollo a escala humana: conceptos y experiencias. Interações: Revista Internacional de Desenvolvimento Local, Campo Grande, MS, v. 1, n. 1, p. 51-62, set. 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 64. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2017.

FREIRE, Paulo. Educação como prática de liberdade. 41. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2016.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 34. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Ana Maria Araújo; OLIVEIRA, Walter Ferreira de Oliveira. Pedagogia da solidariedade. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

GADOTTI, Moacir. Escola vivida, escola projetada. Campinas, SP: Papirus, 1992.

JUPIASSU, Hilton. O espírito interdisciplinar. Cadernos EBAPE/FGV, Rio de Janeiro, v. IV, n. 3, out. 2006.

LÜCK, Heloísa. Gestão da cultura e do clima organizacional da escola. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. (Série Cadernos de Gestão).

MAX-NEEF, Manfred A. Desenvolvimento a escala humana: concepção, aplicação e reflexões posteriores. Blumenau: Edifurb, 2012.

MAX-NEEF, Manfred A. La dimensión perdida: la deshumanización del gigantismo. Barcelona: Icaria, 2007.

MEKSENAS, Paulo. Sociologia da educação. Introdução ao estudo da escola no processo de transformação social. 17. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

MEYER, Raúl Gonzáles. Revisitando la historia de las teorías del desarrollo. Cultura-Hombre-Sociedad (CUHSO), Temuco, Chile, v. 23. n. 1. p. 55-91, jul. 2013.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Disciplinaridade, interdisciplinaridade e complexidade. Emancipação, Ponta Grossa, PR, v. 10, n. 2, p. 435-42, 2010.

PILETTI, Claudino; PILETTI, Nelson. História da Educação: de Confúcio a Paulo Freire. 1. ed., 3. reimp. São Paulo: Contexto, 2016.

SACRISTÁN, José Gimeno. Por que nos importamos com a educação no futuro? In: JARAUTA, Beatriz; IMBERNÓN, Francisco (Org.). Pensando no futuro da educação: uma nova escola para o século XXII. Porto Alegre: Penso, 2015.

SHIGUNOV NETO, Alexandre. História da educação brasileira: do período colonial ao predomínio das políticas educacionais neoliberais. São Paulo: Salta, 2015.

SIBILIA, Paula. Redes ou paredes: a escola em tempos de dispersão. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

TAPIA, Carlos F. J. C. El concepto y la visión del desarrollo como base para la evaluación de políticas públicas. Economía y Sociedad, v. XVIII, n. 30, p. 47-65, jan./jun. 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/inter.v21i1.2227

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Indexada em:
 
 

ISSN 1984-042X (versão online)