Amazônia no Antropoceno: o manejo como relação entre humanos e fauna silvestre

Wagner de Deus Mateus, Mariana Baldoino, Elisa Ferrari Justulin Zacarias, Maria Inês Gasparetto Higuchi

Resumo


O trabalho foi realizado para discutir a conservação e manejo da fauna silvestre amazônica a partir da relação entre humano e não humano como respostas a defaunação na época do Antropoceno. Na Amazônia, essas práticas transformam o modo como as populações humanas se relacionam com as espécies pirarucu, quelônios e jacarés.

Palavras-chave


Antropoceno; defaunação; conservação; manejo; Amazônia.

Texto completo:

PDF

Referências


AMAZONAS (Estado). Decreto n. 36.083, de 23 de julho de 2015. Disponível em: <http://www.normasbrasil.com.br/norma/decreto-36083-2015-am_287404.html>. Acesso em: 30 maio 2018.

ANDRADE, Paulo César Machado. O projeto Pé-de-Pincha em números: a conservação comunitária de tracajás (Podocnemis unifilis). In: ANDRADE, Paulo César Machado (Org.). Manejo comunitário de quelônios no Médio Amazonas e Juruá – Projeto Pé-de-Pincha. Manaus: Gráfica Moderna, 2012. p. 15-88.

ANDRADE, Paulo César Machado et al. Sistematização dos métodos utilizados pelo projeto Pé-de-Pincha para a conservação comunitária de quelônios – transferência de ninhos e berçários. In: ANDRADE, Paulo César Machado (Org.). Manejo comunitário de quelônios no Médio Amazonas e Juruá – Projeto Pé-de-Pincha. Manaus: Gráfica Moderna, 2012. p. 89-156.

ANTUNES, André Pinassi et al. Empty forest or empty rivers? A century of commercial hunting in Amazonia. Science Advances, v. 2, n. 10, p. 1-14, out. 2016.

ANTUNES, André P.; SHEPARD JR., Glenn H.; VENTICINQUE, Eduardo M. O comércio internacional de peles silvestres na Amazônia brasileira no século XX. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, PA, v. 9, n. 2, p. 487-518, maio/ago. 2014.

BARBOZA, Rafael Sá Leitão et al. Plano de manejo comunitário de jacarés na várzea do baixo rio Amazonas, Santarém – PA, Brasil. Biotemas, Florianópolis, SC, v. 26, n. 2, p. 215-26, jun. 2013.

BARUA, Maan et al. Defining flagship uses is critical for flagship selection: a critique of the IUCN climate change flagship fleet. Ambio, v. 40, n. 4, p. 431-5, jun. 2011.

BERKES, Fikret. Evolution of co-management: role of knowledge generation, bridging organizations and social learning. Journal of Environmental Management, v. 90, n. 5, p. 1692-702, abr. 2009.

______. Rethinking community-based conservation. Conservation Biology, v. 18, n. 3, p. 621-30, 2004.

BOTERO-ARIAS, Robinson; MARMONTEL, Miriam; QUEIROZ, Helder Lima de. Projeto de manejo experimental de jacarés no Estado do Amazonas: abate de jacarés no setor Jarauá - Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, dezembro de 2008. UAKARI, v. 5, n. 2, p. 49-58, dez. 2009.

BOTERO-ARIAS, Robinson; REGATIERI, Sandro A. Construindo as bases para um Sistema de Manejo Participativo dos Jacarés Amazônicos. Tefé, AM: IDSM, 2013. 68p.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção. Portaria MMA n. 444, de 17 de dezembro de 2014a. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/legislacao/Portaria/2014/p_mma_444_2014_lista_esp%C3%A9cies_ame%C3%A7adas_extin%C3%A7%C3%A3o.pdf>.

______. Ministério do Meio Ambiente. Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção - Peixes e Invertebrados Aquáticos. Portaria MMA n. 445, de 17 de dezembro de 2014b.

______. Instrução Normativa IBAMA n. 07/2015, de 30 de abril de 2015. Institui e normatiza as categorias de uso e manejo da fauna silvestre em cativeiro, e define, no âmbito do Ibama, os procedimentos autorizativos para as categorias estabelecidas. Disponível em: <http://www.ibama.gov.br/phocadownload/fauna/faunasilvestre/2015_ibama_in_07_2015_autorizacao_uso_fauna_empreendimentos.pdf>.

______. Lei n. 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9605.htm>.

CASTELLO, Leandro. Lateral migration of Arapaima gigas in floodplains on the Amazon. Ecology of Freshwater Fish, v. 17, n. 1, p. 38-46, 2008.

CASTELLO, Leandro; STEWART, Donald. J. Assessing CITES non-detriment findings procedures for arapaima in Brazil. Journal of Applied Ichthyology, v. 26, n. 1, p. 49-56, fev. 2010.

CASTELLO, Leandro; STEWART, Donald J.; ARANTES, Caroline C. O que sabemos e precisamos fazer a respeito da conservação do pirarucu (Arapaima spp.) na Amazônia. In: FIGUEIREDO, Ellen Sílvia Amaral (Org.). Biologia, conservação e manejo participativo de pirarucus na Pan-Amazônia. Tefé, AM: IDSM, 2013. p. 17-32.

CASTRO, Roberta Rowsy Amorim de; OLIVEIRA, Myriam Cyntia Cesar de. Os termos “populações” e “comunidades” tradicionais e a apropriação dos conceitos no contexto amazônico. Mundo Amazónico, Colômbia, v. 7, n. 1-2, p. 47-70, 2016.

CEBALLOS, Gerardo; EHRLICH, Paul R.; DIRZO, Rodolfo. Biological annihilation via the ongoing sixth mass extinction signaled by vertebrate population losses and declines. PNAS, Ecology, v. 114, n. 30, p. E6089-E6096, jul. 2017.

CONVENÇÃO SOBRE COMÉRCIO INTERNACIONAL DE ESPÉCIES DA FAUNA E FLORA SILVESTRES AMEAÇADAS DE EXTINÇÃO (CITES). What is CITES? 2017. Disponível em: <https://www.cites.org/eng/disc/what.php>. Acesso em: 10 jun. 2017.

______. Appendices I, II and IIIAbr. 2017. Disponível em: <https://www.cites.org/eng/app/appendices.php>.

CHAKRABARTY, Dipesh. The anthropocene and the convergence of histories. In: HAMILTON, Clive; BONNEUIL, Christophe; GEMENNE, Bonneuil. The anthropocene and the global environmental crisis. Rethinking modernity in a new epoch. Oxfor, RN/New York, NY: Routledge Environmental Humanities, 2015. p.44-56.

______. The climate of history: four theses. Critical Inquiry, v. 35, n. 2, p. 197-222, 2009.

COSTELLO, Mark J. Biodiversity: the known, unknown, and rates of extinction. Current Biology, v. 25, n. 9, R362-R383, maio 2015.

CRUTZEN, Paul J. Geology of mankind: the Anthropocene. Nature, v. 415, n. 23, p. 23, jan. 2002.

DERRIDA, Jacques. O animal que logo sou. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

DESCOLA, Philippe. Más al lá de naturaleza y cultura. 1. ed. Buenos Aires: Amorrortu, 2012.

______. Estrutura ou sentimento: a relação com o animal na Amazônia. Mana, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 23-45, abr. 1998.

DIRZO, Rodolfo et al. Defaunation in Antropoceno. Science, v. 345, n. 6195, p. 401-6, jul. 2014.

FERRARA, Camila Rudge et al. História natural e biologia dos quelônios amazônicos. In: BALESTRA, Rafael Antônio Machado (Org.). Manejo conservacionista e monitoramento populacional de quelônios amazônicos. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Brasília: Ibama, 2016. p. 15-28.

FRANCO, José Luiz de Andrade. O conceito de biodiversidade e a história da biologia da conservação: da preservação da wilderness à conservação da biodiversidade. História, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 21-48, jul./dez. 2013.

GALETTI, Mauro; DIRZO, Rodolfo. Ecological and evolutionary consequences of living in a defaunated world. Biological Conservation, v. 163, número especial, p. 1-6, jul. 2013.

GASTAL, Maria Luiza; SARAGOUSSI, Muriel. Os instrumentos para a conservação da biodiversidade. In: BENSUSAN, Nurit (Org.). Seria melhor mandar ladrilhar? Biodiversidade: como, para que e por quê? Brasília: Editora UnB, 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISITICA (IBGE). Produção da Pecuária Municipal – 2015, Rio de Janeiro, v. 43, p. 1-49, 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS (IBAMA). Portaria IBAMA n. 08, de 2 de fevereiro de 1996. Estabelece normas gerais para o exercício da pesca na bacia hidrográfica do Rio Amazonas. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/legislacao/Portaria/1996/p_ibama_08_1996_regulamentapescabaciahidroraficarioamazonas.pdf>. Acesso em: 30 maio 2018.

______. Portaria n. 142, de 30 de dezembro de 1992. Controla as transações comerciais das espécies: Tartaruga da Amazônia (Podocnemis expansa) e Tracajá (Podocnemis unifilis). Disponível em: <http://www.ibama.gov.br/sophia/cnia/legislacao/IBAMA/PT0142-301292.PDF>. Acesso em: 30 maio 2018.

______. Portaria n. 70, de 23 de agosto de 1996. Normatiza a comercialização de produtos e subprodutos das espécies de quelônios. Disponível em: <http://www.ibama.gov.br/sophia/cnia/legislacao/PRT7096.htm>. Acesso em: 30 maio 2018.

______. Instrução Normativa n. 001, de 1º de junho de 2005. Proibir anualmente a pesca, o transporte, a armazenagem e a comercialização do pirarucu (Arapaima gigas) no estado do Amazonas, durante o período de 1º de junho de a 30 de novembro. Disponível em: <http://www.ibama.gov.br/sophia/cnia/legislacao/IBAMA/IN0001-010605.PDF>. Acesso em: 30 maio 2018.

______. Instrução Normativa n. 169, de 20 de fevereiro de 2008. Instituir e normatizar as categorias de uso e manejo da fauna silvestre em cativeiro em território brasileiro, Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=585>. Acesso em: 30 maio 2018.

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (ICMBio). Ministério do Meio Ambiente. Roteiro Metodológico para Avaliação do Estado de Conservação das Espécies da Fauna Brasileira. Ago. 2014. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/biodiversidade/fauna-brasileira/avaliacao-do-risco/Roteiro_Metodologico_Avaliacao_Fauna_Brasileira_2014.pdf>.

INTERNATIONAL UNION FOR CONSERVATION OF NATURE (IUCN). IUCN Red List, 2014. Disponível em: <http://www.iucnredlist.org/about/introduction>.

KOLBERT, Elizabeth. A sexta extinção: uma história não natural. Tradução de Mauro Pinheiro. 1. ed. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2015.

KRITSCH, Rebeca. The Amazon’s flora and fauna. AMAZON Initiative, WWF, fev. 2009.

LEFF, Enrique. Complexidade, racionalidade ambiental e diálogo de saberes. Educação e Realidade, Porto Alegre, RS, v. 4, n. 3, p. 17-24, set./dez. 2009.

LIRA, Talita de Melo; CHAVES, Maria do Perpétuo Socorro Rodrigues. Comunidades ribeirinhas na Amazônia: organização sociocultural e política. Interações, Campo Grande, MS, v. 17, n. 1, p. 66-76, jan./mar. 2016.

LOUREIRO, Antônio José Souto. O Amazonas na época imperial. 2. ed. Manaus: Valer, 2007. 328p.

MAZOYER, Marcel; ROUDART, Laurence. História das agriculturas no mundo: do neolítico a crise contemporânea. São Paulo: Editora UNESP, 2010.

MCGRATH, David G. et al. Constructing a policy and institutional framework for na ecosystem-based approach to managing the lower Amazon floodplain. Environment, Development and Sustainability, n. 10, p. 677-95, 2008.

MENEGUZZO, Isonel Sandino; CHAICOUSKI, Adeline. Reflexões acerca dos conceitos de degradação ambiental, impacto ambiental e conservação da natureza. Geografia, Londrina, PR, v. 19, n. 1, p. 181-5, 2010.

MENGAK, Michael T. Wildlife management. Forests and Forestry in the Americas: an encyclopedia. Society of American Foresters, International Society of Tropical Foresters, fev. 2008. Disponível em: <https://sites.google.com/site/forestryencyclopedia/Home/Wildlife%20Management>  

ORLAND, Mary A. Roots of the modern environmental dilemma: a brief history of the relationship between humans and wildlife. Marine BioConservation Society, 2004. Disponível em: <http://marinebio.org/oceans/conservation/moyle/ch1-3/>.

PEREIRA, Henrique M. et al. Scenarios for Global Biodiversity in the 21st Century. Science, v. 330, n. 6010, p.1496-501, dez. 2010.

PINCHEIRA-DONOSO, Daniel; BAUER, Aaron M.; MEIRI, Shai; UETZ, Peter. Global taxonomic diversity of living reptiles. Plos One, v. 8, n. 3, p. 1-10, 2013.

REGAN, Tom. Jaulas vazias: encarando o desafio dos direitos animais. Porto Alegre: Lugano, 2006.

RUEDA-ALMONACID, Jose Vicente et al. Las tortugas y los cocodrilianos de los países andinos del trópico. Bogotá, Colombia: Conservación Internacional, 2007. 538p.

SALERA JÚNIOR, Giovanni; BALESTRA, Rafael Antônio Machado; LUZ, Vera Lúcia Ferreira. Breve histórico da conservação dos quelônios amazônicos no Brasil. In: BALESTRA, Rafael Antônio Machado (Org.). Manejo conservacionista e monitoramento populacional de quelônios amazônicos. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Brasília: Ibama, 2016. p. 11-4.

SCHÚ, Camila et al. Manejo reprodutivo de crocodilianos. Revista Investigação Medicina Veterinária, Franca, SP, v. 14, n. 1, p. 104-9, 2015.

SECRETÁRIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE (SEMA). Conselho Estadual de Meio Ambiente do Estado do Amazonas. Resolução n. 26, de agosto de 2017. Estabelece os procedimentos técnicos para a criação e o manejo comunitário de quelônios no Estado do Amazonas. Diário Oficial do Estado do Amazonas. Disponível em: <https://sogi8.sogi.com.br/Arquivo/Modulo113.MRID109/Registro1283218/resolucao%20cemam%20n%2026%20de%2018082017.pdf>.

SILVA, Andréa Leme da. Animais medicinais: conhecimento e uso entre as populações ribeirinhas do rio Negro, Amazonas, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, PA, v. 3, n. 3, p. 343-57, set./dez. 2008.

SINGER, Paul. Libertação animal. São Paulo: WMF/Martins Fontes, 2010.

SMITH, Robert J. et al. Identifying Cinderella species: uncovering mammals with conservation flagship appeal. Conservation Letters, v. 5, n. 3, p. 205-12, 2012.

SOUZA, Bruna Crislane da Silva; SANTOS, Gracielle Alves dos; CAMPOS, Rogério Manoel Lemes de. Carne de jacaré – Revisão de Literatura. Revista Eletrônica Nutritime, v. 11, n. 6, p. 3741-54, nov./dez. 2014.

STEFFEN, Will; CRUTZEN, Paul J.; MCNEILL, John R. The Anthropocene: are humans now overwhelming the great forces of nature. AMBIO: A Journal of the Humans Environment, v. 36, n. 8, p. 614-21, 2007.

STEFFEN, Will et al. The trajectory of the Anthropocene: the great acceleration. The Anthropocene Review, v. 2, n. 1, p. 81-98, 2015.

STEFFEN, Will et al. The Anthropocene: conceptual and historical perspectives. Philosophical Transactions of the Royal Society, A, n. 369, p. 842-67, jan. 2011.

THOMAS, Keith. O homem e o mundo natural: mudanças de atitudes em relação as plantas e aos animais (1500-1800). São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

VAN DIJK, Peter Paul et al. Turtle Taxonomy Working Group. Turtles of the World. 7. ed. Annotated Checklist of Taxonomy, Synonymy, Distribution with maps, and Conservation Status. Chelonian Research Monographs, v. 7, n. 5, p. 329-479, 2014.

VIDAL, Marcelo Derzi; COSTA, Tiago Viana da. Manejo comunitário de quelônios: a parceria ProVárzea/Ibama – Pé-de-Pincha. In: MACHADO, Paulo Cesar (Org.). Criação e manejo de quelônios no Amazonas. Manaus: Ibama, ProVárzea, 2007.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. A inconstância da alma selvagem e outros ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2013.

______. Os pronomes cosmológicos e o perspectivismo ameríndio. Mana, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 115-44, out. 1996.

WORLD WIDE FUND FOR NATURE (WWF). How many species are we losing? 2014. Disponível em: <http://wwf.panda.org/about_our_earth/biodiversity/biodiversity/>.

YOUNG, Hillary S. et al. Patterns, causes, and consequences of Anthropocene defaunation. Annual Review of Ecology, Evolution, and Systematics, v. 47, p. 333-58, nov. 2016.

 




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/inter.v19i3.1667

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Indexada em:
 
 

ISSN 1984-042X (versão online)