A concepção de Desenvolvimento Local na trajetória de uma Organização Social do Terceiro Setor no município de São Leopoldo, RS

Roberta Soares da Rosa, Patrick Dias Gomes, Géssica Carneiro da Rosa

Resumo


Este artigo pretende apresentar a trajetória da concepção de Desenvolvimento Local nos princípios das práticas político-pedagógicas de uma organização do Terceiro Setor, oriunda de uma pesquisa em arquivos e documentos dos planejamentos institucionais dos últimos catorze anos. Serão abordados conceitos que permeiam as práticas educacionais, bem como o conceito de Desenvolvimento Local (DL) com o qual trabalhamos. O Círculo Operário Leopoldense - COL, organização do Terceiro Setor com 78 anos de fundação, em 2011 se propôs a refletir sobre a concepção de Desenvolvimento Local que desde 1998 está na pauta da instituição e em sua razão de ser desde 2006. Através de um processo de sistematização de práticas, colocamos o tema D.L. como eixo central. Esse processo contribui para afirmação da concepção de D.L. e definição dos próximos passos a serem dados para uma efetiva contribuição para o Desenvolvimento Local.

 


Palavras-chave


Círculo Operário Leopoldense. Sistematização. Desenvolvimento Local.

Texto completo:

PDF

Referências


ADAMS, Telmo. Educação e economia popular solidária: mediações pedagógicas do trabalho associado. São Paulo: Ideias & Letras, 2010

ÁVILA, Vicente Fideles de. Paciência, capitalismo, socialismo e desenvolvimento local endógeno. Revista Interações, Campo Grande, MS, v. 9, n. 1, p. 85-98, jan./jun. 2008.

BLANCO, Diego Monte; KEIL, Ivete Manetzeder; SOETHE, José Renato. Estudos sobre sistemas de desenvolvimento local. São Leopoldo: Escritos Editora, 2011.

BUARQUE, Sérgio C. Metodologia de planejamento do desenvolvimento local e municipal sustentável: material para orientação técnica e treinamento de multiplicadores e técnicos em planejamento local e municipal. Brasília: MEPF, INCRA, IICA, jun. 1999. Disponível em: <www.iica.org.br/Docs?Publicações>. Acesso em: jan. 2012.

FRAGOSO, António. Contributos para o debate teórico sobre o desenvolvimento local: um ensaio baseado em experiências investigativas. Revista Lusófona de Educação, (5), p. 63-83, 2005.

GOHN, Maria Glória da. Educação não formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

GOHN, Maria Glória da; BRINGEL, Breno M. Movimentos sociais na era global. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

JARA Holliday, Oscar. A sistematização de experiências: prática e teoria para outros mundos possíveis. Tradução de: Luciana Grafrée e Silvia Pinevro. Brasília: CONTAG, 2012.

SANCHES, Cínara Del Arco. A contribuição à sistematização de experiências para o fortalecimento do campo agroecológico e da agricultura familiar no Brasil. 2011. 181f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Agroecologia e Desenvolvimento Rural) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2011.

SOBOTTKA, E. A utopia político-emancipatória em transição: movimentos sociais viram ONGs que viram “terceiro setor”. Teoria e Sociedade, Belo Horizonte, v. 11, n. 1, p. 48-65, 2003.

STRECK, D. R.; ADAMS, Telmo. Lugares da participação e formação da cidadania. Civitas: Revista de Ciências Sociais, Porto Alegre, RS, v. 6, n. 1, p. 95-117, 2006.

______. Pesquisa participativa, emancipação e (des) colonialidade. 1. ed. Curitiba, PR: CRV, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/interações.v16i1.90

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1984-042X (versão online)
ISSN 1518-7012 (versão impressa, até v. 16, n. 1, jan./jun. 2015)