Evolução setorial do emprego nas regiões chilenas no período de 2007-2009

Daniela Peres Cardozo, Gilson Batista de Oliveira

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar a variação setorial e regional do emprego chileno entre os anos de 2007 e 2009. Para tanto, utilizou-se a metodologia shift-share (estrutural-diferencial), uma ferramenta de dados estatísticos que possibilita identificar os distintos fatores relacionado à variação do emprego, variação essa atribuída a  aspectos estruturais e diferenciais. Setorialmente, os resultados apresentados indicam que os setores exportadores foram os que tiveram os piores desempenhos, sendo o componente estrutural explicativo para o fato. Em relação às regiões, Tarapacá, Coquimbo, Valparaíso, Maule, Araucanía, Aysen, Magallanes y la Antártica Chilena e a Região Metropolitana apresentaram as maiores taxa de crescimento na criação de emprego, enquanto as demais ficaram abaixo da média nacional. Desse modo, o presente trabalho ressalta a importância da aplicação e leitura da análise regional para avaliar, bem como para estabelecer uma agenda de políticas regionais e nacional após diagnosticar suas deficiências setoriais.

 


Palavras-chave


Análise regional. Emprego. Chile.

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA BRASILEIRA DE PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÃO E INVESTIMENTOS (APEX-BRASIL). Perfil - País Chile. 2010. Disponível em: <http://www2.apexbrasil.com.br/media/estudo/chile_17102012162336.pdf>. Acesso em: 15 out. 2014.

BANCO MUNDIAL. Countries. [s.d.]. Disponível em: <www.worldbank.org>. Acesso em: 3 nov. 2014.

BLANCHARD, O. Macroeconomia. 5. ed. São Paulo: PearsonPretince Hall, 2011.

BOCHI, I. As repercussões  econômicas da elevação dos preços das commodities internacionais sobre a economia chilena. 2011. 58 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Econômicas) - Departamento de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

CARVALHO, F. J. C. Entendendo a Recente Crise Financeira Global. In: ASSOCIAÇÃO KEYNESIANA BRASILEIRA (AKB). Dossiê da Crise. [S.l.: s.n.], 2008.

CENSO. Productos Estadísticos. 2012. Disponível em: <http://www.ine.cl/>. Acesso em: 5 mar. 2014.

FFRENCH-DAVIS, R; HERESI, R. La economía chilena frente a la crisis financiera: respustas contra-cíclicas y desafios pendientes. In: LEÓN , J. L. (Org.). La gran recesión: Respuestas en las Américas y Asia del Pacífico. México: [s.n.], 2012.

GONTIJO, C. Raízes da crise financeiro dos derivativos subprime. Belo Horizonte, MG: UFMG/Cedeplar, 2008.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA (INE). Productos estadísticos. [s.d.]. Disponível em: www.ine.cl. Último acesso em: 23 nov. 2014.

MOYANO, E. Impactos de la crisis internacional en el sector exportador de chile. In: LAVALLE, P. L. (Org.). Impactos de la crisis internacional sobre la economía chilena. Santiago: Lom Ediciones; Fundación Konrad Adenauer,  2010. Cap. 7, p. 129-151.

MUGA, R. Impactos de la crisis internacional sobre los sectores produtivos de chile. In: LAVALLE, P. L. (Org.). Impactos de la crisis internacional sobre la economía chilena. Santiago: Lom Ediciones; Fundación Konrad Adenauer,  2010. Cap. 5, p. 95-114.

NATARIO, T. N. Uma análise sobre as origens e impactos da crise do sistema imobiliário norte-americano - as hipotecas subprime. 2009. 66 f.  Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Econômicas) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

OLIVEIRA, G. B.; SILVA, M. A. de O. de. Análise Shif-Share: um estudo sobre emprego nas regiões do Brasil nos anos de 2002 e 2003. Caderno de Iniciação Científica, Curitiba, PR, n. 9, p. 419-430, 2008.

RIBEIRO, T. M. Exportações e crescimento: um teste de causalidade para o caso chileno. 2008. 107 f. Dissertação (Mestrado em Economia Política) -  Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

RIPPEL, R.; RIPPEL, V. C. L. Considerações a respeito das origens, dos acontecimentos e das conseqüências da crise econômica mundial atual. Informe Gepec, v. 12, n. 2, 2008.

SANFLUENTES,  A. Capacidad de respuesta de la economía chilena ante los efectos de la crisis internacional. In: LAVALLE, P. L. (Org.). Impactos de la crisis internacional sobre la economía chilena. Santiago: Lom Ediciones; Fundación Konrad Adenauer, 2010. Cap. 4, p.  81-94.

SCHWINGEL,G. Preferência pela liquidez dos bancos durante a crise do subprime. 2010. 85 f. Monografia (Especialização em Administração) - Escola de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

SILVA, J. C. C. A análise de componentes de variação (shift-share). In: COSTA, J. S. (Org.). Compendio de economia regional. Coimbra, Portugal: APDR, 2002. Cap. 24, p. 803-813.

SIMÕES, R. Métodos de análise regional e urbana: diagnóstico aplicado ao planejamento. Belo Horizonte: Cedeplar/UFMG, 2005.

SOBREIRA, R. Os derivativos e a crise de crédito. In: ASSOCIAÇÃO KEYNESIANA BRASILEIRA (AKB). Dossiê da Crise. [S.l.: s.n.], 2008.

VALE E VASCONCELOS, A. Análise e Alteração Proporcional (Shift - Share). In: ______.  Economia urbana. Porto, Portugal: Rés-editora, 1984. Cap. 8, p. 211-239.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/1518-70122016103

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Indexada em:
 
 

ISSN 1984-042X (versão online)