Interação e inovação na trajetória do Sistema Turístico de Bonito, MS: um modelo para os destinos da RILA?

Dores Cristina Grechi, Heros Augusto Santos Lobo, Patrícia Cristina Statella Martins

Resumo


A gestão de destinos turísticos no Brasil vem se transformando à partir do reconhecimento da necessidade de articulação entre os diferentes stakeholders do turismo atuantes em cada localidade. Neste contexto, o presente artigo tem como objetivo central apresentar uma análise do sistema gestor do turismo em Bonito, com ênfase na sua operacionalização por meio do Voucher Único e na criação de leis específicas para o turismo. Pretende também analisar se esse sistema seria aplicável para os destinos que pertencem a Rota de Integração Latino Americana  - Rila.  As análises foram realizadas tanto baseadas em revisões teóricas, quanto em estudos-síntese já realizados sobre o destino, com ênfase nos aspectos teóricos relacionados à competitividade e inovação dos sistemas turísticos. Os resultados apontam diretrizes importantes para gestão inovadora do destino após duas décadas desde a implantação do Voucher Único, ferramanta de controle de visitantes, criada endogenamente e responsável por organizar a exploração da atividade turística no local.

Palavras-chave


sistema gestor; inovação; capital social; stakeholders.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, N. P. (Org.). Estudos e pesquisas turísticas em Bonito. Campo Grande: UFMS, 2013.

ANUNCIAÇÃO, A. V. L.; TOMAZINI, M. O Associativismo conferido na região turística Bonito Serra da Bodoquena, Mato Grosso do Sul. In: VIII SEMINÁRIO DE PESQUISA EM TURISMO DO MERCOSUL (SEMINTUR) - I COLOQUIO SOBRE HOSPITALIDADE, 8., 2-4 julho 2015, Caxias do Sul, RS. Anais [...].Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2015.

ARAÚJO, E. G.; ROSI, K. R. B. S.; SILVA, P. V. Percepção do Carnaval – 2010 em Bonito-MS, na visão do poder público, da segurança pública, da iniciativa privada e dos moradores. In:  ALMEIDA, N. P. (Org.). Estudos e pesquisas turísticas em Bonito. Campo Grande: UFMS, 2013. p. 31-62).

AAKER, D.A. Administração estratégica de mercado. 9. ed. Porto Alegre: Bookman, 2012.

ARNS, P. C.  Governança democrática e desenvolvimento territorial: avanços e limites  das iniciativas brasileiras. In: ZAPATA, T. (Org.). Desenvolvimento Local e a Nova Governança. Recife: IADH, 2009. p. 79-111.

ARRUDA, D. O.; OLIVEIRA, G. M.; MARIANI, M. A. P. Competitividade do Sistema Produtivo do Turismo em Bonito/MS, a partir de uma Visão Baseada em Recursos. Interações, Campo Grande, MS, v. 15, n. 2, 399-408, 2014. 

ASHEIM, B. T.; COOKE, P. Local Learning and Interactive Innovation Networks in a Global Economy. In:  MALECKI, E. et al. (Ed.). Making connections and regional economic change. Aldershot: Ashgate Publishing Ltd, 1999. p. 145-78

BARQUERO, A. V. Desenvolvimento endógeno em tempos de globalização. Tradução de Ricardo Brinco. Porto Alegre: Fundação de Economia e Estatística, 2001.

BARBOSA M. A. C.; ZAMBONI, R. A. Formação de um cluster em torno do turismo de natureza sustentável em Bonito. Brasília: IPEA/CEPAL, 2000.

BENI, M. C. Análise estrutural do turismo. 3. ed., rev. ampl. São Paulo: SENAC-SP, 2000.

BENI, M. C. Política e planejamento de turismo no Brasil. São Paulo: Aleph, 2006.

BEDNASKI, A. V.; ALMEIDA, N. P. Perfil da demanda turística do Festival de Inverno de Bonito – 2010. In: ALMEIDA N. P. (Org.). Estudos e pesquisas turísticas em Bonito. Campo Grande: UFMS, 2013. p. 11-30.

BISSOLI, A. M. A. Planejamento Turístico Municipal com Suporte em Sistemas de Informação. São Paulo: Ed. Futura, 2000.

BOGGIANI, P. C. Ciência, meio ambiente e turismo em Bonito: a combinação que deu certo? In:  BANDUCCI Jr., A.; MORETTI, E. C. (Org.). Qual paraíso? Turismo e ambiente em Bonito e no Pantanal. São Paulo/Campo Grande: Chronos/UFMS, 2001. p. 151-68.

BOGGIANI, P. C.  Os guias de turismo de Bonito. In: Almeida, N. P. (Org.). Estudos e pesquisas turísticas em Bonito. Campo Grande: MS, 2013. p. 357-72.

BOGGIANI, P. C. Por que Bonito é Bonito? - Geologia da Serra da Bodoquena. In: SCREMIN-DIAS, E. POTT, V. J.; HORA, R. C. de; SOUZA, P.R. (Org.). Nos Jardins Suspensos da Bodoquena - guia para idenitificação de plantas aquáticas de Bonito e região. Campo Grande, MS: Editora da UFMS, 1999, p. 10-23. V. 1.

BOULLÓN, R. C.  Planejamento do espaço turístico. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

BRASIL. Ministério do Turismo. Programa de Regionalização do Turismo: estudo de competitividade dos 65 destinos indutores do desenvolvimento turístico regional – Bonito. Brasília, DF, 2007

BRASIL. Ministério do Turismo. Índice de competitividade do Turismo Nacional: Bonito, MS. Brasília, DF, 2015.

BRASIL. Ministério do Turismo.  Melhor Prática vencedora: Políticas Públicas (Não Capital). Voucher Digital. 2016a. Disponível em http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/noticias/acontece/download_acontece/Bonito_-_Polxticas_Pxblicas_RELATOS_MELHORES_PRxTICAS.pdf. Acesso em: 6 jan. 2019.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Cadastro Nacional de UC´s. 2016b. Disponível em: http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/cadastro-nacional-de-ucs/consulta-por-uc. Acesso em: 6 jan. 2019.

BRITO, B. D. M. de. Tecnologia da informação turística. Rio de Janeiro: SESES, 2017.

BRUM, A. K. de. MOURA, A. P. de. MÜHLEN, A. S. R. W. Políticas territoriais e desenvolvimento regional: uma análise do ambiente institucional e a criação das condições competitivas. In: BRUM,A. K.; MOURA, A. P. (Orgs.). Desenvolvimento economico & ambiente institucional: reflexões sobre teoria e política. Curitiba: Ithala, 2015. p. 57-76.

BUTLER, R. W. The concept of a tourist area-cycle of evolution: implications for the management of resources. Canadian Geographic, v.14, p.5-12, 1980.

CAMARGO, L. J. J.; CAMARCO, C. M. J; RONDON, E. V.; QUEIROZ, H. P. B.; SANTOS, S. R.; FAVERO S.; MERCANTE, M. A. Análise da sustentabilidade do turismo ecológico no município de Bonito, Mato Grosso do Sul na Promoção do desenvolvimento regional. Revista Sociedade & Natureza, v. 23, n. 1, 65-75, 2011. 

CERDOURA, K. B. Compreendendo o surgimento e a consolidação do turismo no município de Bonito/MS através da valorização da experiência de seus habitantes. In: ALMEIDA, N. P. (Org.). Estudos e pesquisas turísticas em Bonito. Campo Grande: UFMS, 2013. p. 117-208.

Dresner, S. The principles of sustainability. London: Earthscan Publications Ltd, 2002.

EDELMAN; PANROTAS. 10 tendências para viagens e turismo na América Latina em 2018. 2017. Disponível em http://panrotasstoragenews.blob.core.windows.net/conteudo/2018/Tend%C3%AAncias%20para%20o%20Turismo%20na%20Am%C3%A9rica%20Latina.pdf. Acesso em: 10 jan. 2018.

FORD D. C.; WILLIAMS P. W. Karst Geomorphology and Hydrology. Chichester: John Wiley & Sons Ltd, 2007.

FRATA, A. M.; MICHELS, I. L.; MARIANI, M. A. P., CAMPELO, E. H. R.; ARAÚJO, G. C. O ciclo de vida do destino turístico de Bonito, Mato Grosso do Sul. In: SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL, 45., Londrina, PR, Anais [...]. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2007. Disponível em: http://sober.org.br/palestra/6/563.pdf. Acesso  em: 8 set. 2018.  

FUINI, L. L. A governança em arranjos produtivos locais: tópicos para uma discussão sobre o desenvolvimento em escala local/regional. In: Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Reginoal, 5., Porto Alegre, RS. Anais [...].: Porto Alegre: Universidade de Santa Cruz do Sul, 2013. Disponível em: http://www.unisc.br/site/sidr/2013/Textos/45.pdf. Acesso em: 7  set.  2018.

GLOBO. COM. Boniro, MS, é eleita melhor destino para turismo responsável no mundo: Sistema de controle de visitantes foi reconhecido em premio internacionais. 2013. Disponível em http://g1.globo.com/turismo-e-viagem/noticia/2013/11/bonito-em-ms-e-eleito-melhor-destino-para-turismo responsavel-no-mundo.html. Acessado em 10 set. 2018.

GRECHI, D. C. Resgate histórico do Sistema de Gestão do Turismo em Bonito-MS. Orientador: Elimar Pinheiro do Nascimento. 2002. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável) - Universidade de Brasília, Brasília-DF, 2002.

GRECHI, D. C. O desenvolvimento turístico sob a ótica da economia institucional: uma análise do caso de Bonito-MS. Orientador: Eduardo Ernesto Filippi, 2011. Tese (Doutorado em Economia do Desenvolvimento Regional) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2011.

GRECHI, D. C.; LOBO, H. A. S.; MARTINS, P. C. S.; LUNAS, J. R. S. Título. In: PHILIP JR, A.; RUSCHMANN, D. V. M (Ed.). Gestão ambiental e sustentabilidade no turismo. Barueri, SP: Manole, 2010. p. 913-31.

GRIMM, I. J.; PASCO, A. D.; SAMPAIO, C. A. C.; COUTINHO, G. Incubação e comunidades tradicionais: Promover o turismo comunitário e o desenvolvimento territorial sustentável. In:  MORETTI, E. C.; PINTO, J. O. P.; MARIANI, M. A. P. (Org.). Empreendimentos econômicos solidários e a relação com a cadeia produtiva do turismo nas regiões da Serra da Bodoquena e do Pantanal.  Campo Grande: UFMS, 2015. p. 73-94.

PASCHOAL, F. Bonito é eleito o melhor destino de ecoturismo no Brasil no Prêmio O Melhor de Viagem e Turismo 2012/2013. Viagem e Turismo, 2012. Disponível em https://viagemeturismo.abril.com.br/destinos/bonito-e-eleito-o-melhor-destino-de-ecoturismo-no-brasil-no-premio-o-melhor-de-viagem-e-turismo-20122013/. Acesso em: 11 set. 2018.

PERROUX, F. Ensaio sobre a filosofia do novo desenvolvimento. Lisboa: Ed. Calouste Gulbenkian, 1981.

INVAT.TUR. Destinos Turísticos Inteligentes: manual operativo para la configuracíon de Destinos Turísticos inteligentes. Agência Valenciana del Turisme, 2015.

KLEIN, F. M.; DE OLIVEIRA ESCANDOLHERO, J. P.; LUCHESE, N. R.; MERCANTE, M. A.; FÁVERO, S.; RODRIGUES, S .C. Educação ambiental e o ecoturismo na Serra da Bodoquena em Mato Grosso do Sul. Revista Sociedade & Natureza, Uberlândia, v. 23, n. 2, p.311-2, 2011

LOBO, H. A. S.; CUNHA, F. M. Perfil dos turistas e percepção de impactos ambientais na Gruta do Lago Azul, Bonito, MS. Revista Hospitalidade, São Paulo, v. 6, p. 34-49, 2009.

LOBO, H. A. S.; MOREIRA, J. C.; FONSECA FILHO, R. E. Geoturismo e conservação do patrimônio natural em áreas cársticas brasileiras. Seminário da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo, 9., São Paulo. Anais [...]. São Paulo: Aleph, 2012.

LOBO, H. A. S.. La gestión en las cuevas turísticas Iberoamericanas. In:  CONGRESO ESPAÑOL, 7., CONGRESO IBEROAMERICANO SOBRE CUEVAS TURÍSTICAS, 2., 2018. La Vall d'Uixó. Cuevas: la flecha del tiempo, de la prehistoria a la actualidad. Madrid: ACTE, 2018. p. 377-88. V. 1.

LUNAS, J. R. S. Ecoturismo sociedade anônima: sustentabilidade, dilemas e perspectivas do turismo na Serra da Bodoquena - MS. Orientador:       Elimar Pinheiro do Nascimento. 2006. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável) - Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2006.

LUNAS, J. R. S. Turismo sustentável: descrição e avaliação da gestão do turismo de Bonito-MS. Orientador: Elimar Pinheiro do Nascimento. 2000.  Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável) -  Universidade de Brasília, Brasília, DFl, 2000.

MARIANI, M. A. P. Turismo e meio ambiente no paraíso das águas. Campo Grande: Ed. UCDB, 2003.

MARIANI, M. A. P.; ARRUDA, D. O.; MALTA, M. C. M. Dinâmicas do processo de governança e coordenação dos agentes que compõem um destino de turismo sustentável, no Centro-Oeste brasileiro. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v. 8, p. 307-32, 2015.

MARTINEZ, A. J. J. Aproximação à conceituação do Turismo a partir da Teoria Geral de Sistemas. In: TRIGO, L. G. G. (Ed.). Análises regionais e globais do turismo brasileiro. São Paulo: Roca, 2005. p.109-47.

MATO GROSSO DO SUL. Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul.   Bonito/Serra da Bodoquena. 2019.  Disponível em:  http://www.turismo.ms.gov.br/conheca-ms/mapa-turistico-do-ms/. Acesso em:  4 out. 2018.

MATOS, M. P.; CASSIOLATO, J. E.; PEIXOTO, F. O referencial conceitual e metodológico para a análise de Arranjos Produtivos Locais. In: MATOS, M. P. D et al. (Org.). Arranjos produtivos locais: referencial, experiências e políticas em 20 anos da Redesist. Rio de Janeiro: E-Papers, 2017.

MEIRA, J. V. S.; CONCEIÇÃO, C. C.; ANJOS, F. A. Aplicação da abordagem sistêmica no turismo: uma análise dos artigos publicados nos anais dos seminários da ANPTUR. SEMINÁRIO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM TURISMO, 12., Natal. Anais [...]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2015.

MORETTI, S. A. L. Atividade turística e transformações territoriais e o município de Jardim/MS. 2002. Dissertação (Mestrado em Geografia ) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Dourados, MS, 2002.

NELSON, R. R. Sistemas nacionais de inovação: retrospecto de um estudo. In: NELSON, R. R. (Org). As fontes do crescimento econômico. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2006. p. 427-69.

NELSON, R. R.; WINTER, S. Uma teoria evolucionária da mudança econômica. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2005.

NORTH, D.  C. Instituciones, cambio institucional y desempeño económico. México, D.F.: Fondo de Cultura Económica, 1993.

OBSERVATÓRIO DE TURISMO E EVENTOS DE BONITO (OTEB). Anuário Estatístico 2015. Bonito Convention & Visitors Bureau. Bonito: Mato Grosso do Sul, 2016.

PASCHOAL, F. Bonito é eleito o melhor destino de ecoturismo no Brasil no Prêmio O Melhor de Viagem e Turismo 2012/2013. Viagem e Turismo, 2012. Disponível em: https://viagemeturismo.abril.com.br/destinos/bonito-e-eleito-o-melhor-destino-de-ecoturismo-no-brasil-no-premio-o-melhor-de-viagem-e-turismo-20122013/. Acesso em: 11 set. 2018.

PERROUX, F. Ensaio sobre a filosofia do novo desenvolvimento. Lisboa: Ed. Calouste Gulbenkian, 1981.

QUEIROZ, F.;  RASTROLLO-HORILLO, M. Á. El estado del arte en gobernanza de destinos turísticos.  Tourism & Management Studies, v. 11, n. 2, p. 47-55, 2015.

RUSCHMANN, D. V. M. Turismo e planejamento sustentável: a proteção do meio ambiente. Campinas: Papirus, 1997.

TRENTIN, F. Políticas públicas de turismo em Bonito/MS: Um olhar a partir dos indicadores de sustentabilidade ambiental. In: ALMEIDA, N. P. (Org.). Estudos e pesquisas turísticas em Bonito. Campo Grande: UFMS, 2013. p. 209-36.

VAN BEYNEN P. (Ed.).  Karst management. New York: Springer, 2011. 

VARGAS, I. V. A gênese do turismo em Bonito. In: BANDUCCI JÚNIOR, A.; MORETTI, E. C.  Qual paraíso? Turismo e ambiente em Bonito e no Pantanal. São Paulo: Chronos; Campo Grande: UFMS, 2001. p. 127-49.

VIGNATI, F. Gestão de destinos turísticos: como atrair pessoas para pólos, cidades e países. Rio de Janeiro: Ed. Senac Rio, 2008.

VELASQUEZ, G. G.; OLIVEIRA, J. P. Teoria geral dos sistemas e turismo: reflexão e trajetória. 2016.  Investigaciones Turísticas, n. 11, p. 165-95, 2016.

VELASQUEZ, G. G.; SILVA, P. V. Gruta do Lago Azul: perfil turista visitante e estrutura receptiva. In:  ALMEIDA, N. P. (Org.). Estudos e pesquisas turísticas em Bonito. Campo Grande: UFMS, 2013. p. 63-102.

WATSON, J., HAMILTON-SMITH, E., GILLIESON, D. AND KIERNAN, K. (Eds.).   Guidelines for cave and karst protection. Prepared for the World Commission on Protected Areas Working Group on Cave and Karst Protection. International Union for the Conservation of Nature:  Gland, Switzerland and Cambridge, UK, 1997.

XIANG, Z.; MAGNINI, V. P.; FESENMAIER, D. R. Information technology and consumer behavior in travel and tourism: insights from travel planning using the internet. Journal of Retailing and Consumer Services, v. 22, p. 244-49, 2015.  

ZAPATA, T. A Importância da Nova Governança para Construir uma Outra Cultura Política no Brasil. Recife: Pernambuco. Editora: Livro Rápido, 2009.

ZAVALA, C.  B. R.; FERNANDES, S. S. L.; PEREIRA, Z. V.; SILVA, S. M. Análise fitogeográfica da flora arbustivo-arbórea em ecótono no Planalto da Bodoquena, MS, Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 27, n. 3, p. 907-921, jul./set., 2017.

 




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/inter.v20iespecial.2549

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Indexada em:
 
 

ISSN 1984-042X (versão online)