Desafios dos coordenadores pedagógicos de São Caetano do Sul, ABC Paulista: um estudo baseado na pesquisa-ação colaborativa

Vanessa Maria Vicente Umemura, Sanny Silva da Rosa

Resumo


Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa-ação realizada no município de São Caetano do Sul, com o objetivo de fortalecer a gestão democrática da escola em prol da qualidade social da educação. Discute os desafios do trabalho do coordenador pedagógico no contexto das políticas regulatórias do estado. Conclui que é necessário e possível abrir espaços de diálogo e participação dos docentes na tomada de decisões sobre os rumos da escola.

Palavras-chave


coordenador pedagógico; gestão democrática; pesquisa-ação; qualidade social da educação.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Wanda Maria Junqueira de; OZELLA, Sergio. Apreensão dos sentidos: aprimorando a proposta dos núcleos de significação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, DF, v. 94, n. 236, p. 299-322, jan./abr. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbeped/v94n236/15.pdf >Acesso em: 23 mar. 2018

ANDERSON, Gary. Privatizando subjetividades: como a Nova Gestão Pública (NGP) está criando um “novo” profissional da educação. RBPAE – Revista Brasileira de Política e Administração na Educação, v. 33, n. 3, p. 593-626, set./dez. 2017.

ARENDT, Hanna. A Condição Humana. Trad. de Roberto Raposo, posfácio Celso Lafer. 10. Ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

ARROYO, Miguel G. Administração da educação, poder e participação. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 1, n. 2, p. 36-46, 1979.

BALL, Stephen J. Global education Inc.: new policy networks and the neo-liberal imaginary. London & New York: Routledge, 2012.

BALL, Stephen J. Profissionalismo, gerencialismo e performatividade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 126, p. 539-64, set./dez. 2005.

BONAMINO, Alicia; SOUSA, Sandra Zákia. Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 2, p. 373-88, abr./jun. 2012.

CARR, Wilfred; KEMMIN, Stephen. Teoría crítica de la enseñanza: la investigación-acción en la formación del profesorado. Barcelona: Ediciones Martines Roca, 1988.

FÉLIX, Maria de Fátima Costa. Administração escolar: um problema educativo ou empresarial? São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1984.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

FREITAS, Luiz Carlos de. Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico na escola. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 35, n. 129, p. 1085-114, out./dez. 2014.

FREITAS, Luiz Carlos. Eliminação adiada: o caso das classes populares no interior da escola e a ocultação da (má) qualidade do ensino. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 28, n. 100, p. 965-87, out. 2007.

FUNDAÇÃO SEADE. Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados. Portal de Estatísticas do Estado de São Paulo, s.d. Disponível em: https://www.seade.gov.br.

GARCIA, Paulo Sérgio; PREARO, Leandro Campi; ROMERO, Maria do Carmo; BASSI, Marcos Sidnei. Formação, atuação e formas de gestão dos diretores de escola da Região do ABC. In: GARCIA, Paulo Sérgio; PREARO, Leandro (Org.). Avaliação da educação escolar no Grande ABC Paulista: primeiras aproximações. São Paulo: Plêiade, 2015. p. 149-81.

GATTI, Bernardete Angelina; BARRETO, Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Marli E. D. Afonso. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: Unesco, 2011. p. 31-48. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002121/212183por.pdf . Acesso em: maio 2016.

GÓMEZ PÉREZ, Ángel I. La cultura escolar en la sociedad neoliberal. Madrid: Ediciones Morata, 1998.

IBIAPINA, Ivana Maria Lopes de Melo. Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Líber Livro, 2008.

MOREIRA, Antônio Flavio Barbosa. Currículo e gestão: propondo uma parceria. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 21, n. 80, p. 547-62, set. 2013.

NÓVOA, António. Imagens do futuro presente. Lisboa, Portugal: Educa, 2009.

PARO, Vitor Henrique. Gestão democrática da escola pública. São Paulo: Ática, 2016.

PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza; ALMEIDA, Laurinda Ramalho (Org.). O coordenador pedagógico e o cotidiano da escola. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

ROSA, Sanny Silva. Reformas educacionais e pesquisa: as políticas “em cena” no Brasil e na Inglaterra. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 1-28, ago. 2012.

SILVA, Maria Abádia da. Qualidade social da educação pública: algumas aproximações. Cadernos CEDES, v. 29, n. 78, p. 216-26, maio/ago. 2009.

SOLIGO, Valdecir. Possibilidades e desafios das avaliações em larga escala da educação básica na gestão escolar. Revista online de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, n. 9, 2010. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/9275/6152. Acesso em: 23 mar. 2018.

VIDAL, Eloisa Maia; VIEIRA, Sofia Lerche. Gestão educacional e resultados no Ideb: um estudo de caso em dez municípios cearenses. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 22, n. 50, p. 419-34, set./dez. 2011.

ZEICHNER, Kenneth M. A formação reflexiva de professores: ideias e práticas. Lisboa, Portugal: Educa, 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/inter.v21i1.1941

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Indexada em:
 
 

ISSN 1984-042X (versão online)