Avaliação de prestação de serviços ecossistêmicos em sistemas agroflorestais através de indicadores ambientais

Renan Coelho de Vasconcellos, Norma Ely Santos Beltrão

Resumo


Este estudo tem como objetivo avaliar, de forma qualitativa, a prestação de serviços ecossistêmicos (SE) por tipo de sistemas agroflorestais (SAF) a partir de uma base de sete indicadores ambientais pré-selecionados. Os modelos de SAFs avaliados foram os multiestratificados, em aleias, taungya e cercas-vivas. Os SAFs multiestratificados possuem maior potencial de prestação de SE por possuírem composição que mais se assemelha a uma floresta natural.

Palavras-chave


sistemas agroflorestais; indicadores de sustentabilidade; carbono; nutrientes.

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (ANA) (Brasil). Programa Produtor de Água: manual operativo. Brasília: ANA, 2012. 74p.

ALVES, T. S.; CAMPOS, L. L.; ELIAS NETO, N.; MATSUOKA, M.; LOUREIRO, M. F. Biomassa e atividade microbiana de solo sob vegetação nativa e diferentes sistemas de manejos. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá, PR, v. 33, n. 2, p. 341-7, 2011.

ARCO-VERDE, M. F.; AMARO, G. C. Metodologia para análise da viabilidade financeira e valoração de serviços ambientais em sistemas agroflorestais. In: PARRON, L. M.; GARCIA, J. R.; OLIVEIRA, E. B.; BROWN, G. G.; PRADO, R. B. Serviços ambientais em sistemas agrícolas e florestais do bioma Mata Atlântica. Brasília, DF: Embrapa, 2015. Capítulo 30.

BEZERRA, B. G.; SILVA, B. B.; FERREIRA, N. J. Estimativa da evapotranspiração real diária utilizando-se imagens digitais TM-Landsat5. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 23, n. 3, p. 305-17, 2008.

BOLFE, E. L.; BATISTELLA, M. Análise florística e estrutural de sistemas silviagrícolas em Tomé-Açu, Pará. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 46, n. 10, p. 1139-47, 2011.

CAMPELLO, E. F. C.; FRANCO, A. A.; FARIA, S. M. Aspectos ecológicos da seleção de espécies para sistemas agroflorestais e recuperação de áreas degradadas. In: AQUINO, A. M.; ASSIS, R. L. (Ed.). Agroecologia: princípios e técnicas para uma agricultura orgânica sustentável. Brasília, DF: Embrapa, 2005. Capítulo 20.

CHENG, K.; PAN, G.; SMITH, P.; LUO, T.; LI, L.; ZHENG, J.; ZHANG, X.; HAN, X.; YAN, M. Carbon footprint of China’s crop production - An estimation using agro-statistics data over 1993-2007. Agriculture, Ecosystems and Environment, v. 142, n. 3-4, p. 231-7, ago. 2011.

DEPONTI, C. M.; ECKERT, C.; AZAMBUJA, J. L. B. Estratégia para construção de indicadores para avaliação da sustentabilidade e monitoramento de sistemas. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, v. 3, n. 4, 2002.

FERRAZ, J. M. G. As dimensões da sustentabilidade e seus indicadores. In: MARQUES, J. F.; SKORUPA, L. A.; FERRAZ, J. M. G. (Ed.) Indicadores de sustentabilidade em agroecossistemas. Jaguariúna, SP: Embrapa, 2003.

FISHER, B.; TURNER, R. K.; MORLING, P. Defining and classifying ecosystem services for decision making. Ecological Economics, v. 68, n. 3, p. 643-53, 2009. Disponível em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0921800908004424>. Acesso em: 21 out. 2012.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FROUFE, L. C. M.; SEOANE, C. E. S. Levantamento fitossociológico comparativo entre sistema agroflorestal multiestrato e capoeiras como ferramenta para execução de reserva legal. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 31, n. 67, 2011.

IDOL, T.; HAGGAR, J.; COX, L. Ecosystem services from smallholder forestry and agroforestry in the tropics. In: CAMPBELL, W. B.; ORTÍZ, S. L. Integrating agriculture, conservation and ecotourism: examples from the field. Nova York: Springer, 2011.

LEITÃO FILHO, H. F. Considerações sobre a florística de florestas tropicais e sub-tropicais do Brasil. Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais, n. 35, p. 41-6, 1987.

MILLENNIUM ECOSYSTEM ASSESSMENT (MEA). Ecosystems and human well-being: current state and trends. Washington: Island Press, 2005. v. 1Disponível em: <http://www.millenniumassessment.org/documents/document.766.aspx.pdf>. Acesso em: 5 abr. 2016.

MOTTA, R. S. Manual para valoração econômica de recursos ambientais. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 1997.

NAIR, P. K. R. An introduction to agroforestry. Dordrecht, Holanda: Kluwer Academic Publishers, 1993.

PALUDO, R.; COSTABEBER, J. A. Sistemas agroflorestais como estratégia de desenvolvimento rural em diferentes biomas brasileiros. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 7, n. 2, p. 63-76, 2012.

PARRON, L. M.; RACHWAL, M. F. G.; MAIA, C. M. B. F. Estoques de carbono no solo como indicador de serviços ambientais. In: PARRON, L. M.; GARCIA, J. R.; OLIVEIRA, E. B.; BROWN, G. G.; PRADO, R. B. Serviços ambientais em sistemas agrícolas e florestais do bioma Mata Atlântica. Brasília, DF: Embrapa, 2015. Capítulo 7.

PEREIRA, M. S.; SAUER, L.; FAGUNDES, M. B. B. Mensurando a sustentabilidade ambiental: uma proposta de índice para o Mato Grosso do Sul. Interações, v. 17, n. 2, p. 327-38, abr./jun. 2016.

POWLSON, D. S.; WHITMORE, A. P.; GOULDING, K. W. T. Soil carbon sequestration to mitigate climate change: A critical re-examination to identify the true and the false. European Journal of Soil Science, v. 62, n. 1, p. 42-55, 2011.

RAO, M. R.; NAIR, P. K. R.; ONG, C. K. Biophysical interactions in tropical agroforestry systems. Agroforestry Systems, v. 38, n. 1, 1997.

RODRIGUES, E. R.; CULLEN JR, L.; BELTRAME, T. P.; MOSCOGLIATO, A. V.; SILVA, I. C. Avaliação econômica de sistemas agroflorestais implantados para recuperação de reserva legal no Pontal do Paranapanema, São Paulo. Revista Árvore, v. 31, n. 5, 2007.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodología de la investigación. México, DF: McGraw-Hill Educación, 2014.

SILVA, R. R. Alometria, estoque e dinâmica da biomassa de florestas primárias e secundárias na região de Manaus (AM). 2007. 152f. Tese (Doutorado em Ciências de Florestas Tropicais) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus, 2007.

SOARES, M. T. S.; FROUFE, L. C. M. Estimativa de ciclagem de nutrientes em ecossistemas florestais por meio da produção e decomposição de serrapilheira. In: PARRON, L. M.; GARCIA, J. R.; OLIVEIRA, E. B.; BROWN, G. G.; PRADO, R. B. Serviços ambientais em sistemas agrícolas e florestais do bioma Mata Atlântica. Brasília, DF: Embrapa, 2015. Capítulo 11.

TEEB FOUNDATIONS. The economics of ecosystems and biodiversity: ecological and economic foundations. Londres: Earthscan, 2010.

TORRES, C. M. M. E.; JACOVINE, L. A. G.; OLIVEIRA NETO, S. N.; ALVES, E. B. B. M. Sistemas agroflorestais no Brasil: uma abordagem sobre a estocagem de carbono. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 34, n. 79, p. 235-44, 2014.

TORRES, C. M. M. E. Estocagem de carbono e inventário de gases de efeito estufa em sistemas agroflorestais, em Viçosa, MG. 2015. 97f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) – Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, MG, 2015.

VELASQUES, N. C.; JACOBI, U. S.; CARDOSO, J. H. Espécies nativas e naturalizadas utilizadas em consórcios para formação de cercas vivas. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 10, n.1, p. 3-11, 2015.

WODA, C. Indicadores para serviços ambientais em sistemas agroflorestais: um estudo de caso no nordeste paraense. In: PORRO, R. (Ed.). Alternativa agroflorestal na Amazônia em transformação. Brasília, DF: Embrapa, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/inter.v19i1.1494

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Indexada em:
 
 

ISSN 1984-042X (versão online)